Exames

Audiometria tonal e vocal

Realizado tanto em adultos como em crianças maiores, é um exame essencial na avaliação das perdas auditivas. É feito dentro de uma cabine isolada acusticamente para que não haja interferência de ruidos externos, não exige nenhum tipo de preparo e é totalmente indolor. Considerado essencial na avaliação de perdas auditivas, zumbidos, tonturas e outros distúrbios otológicos, faz parte da ferramenta básica de avaliação audiológica junto com a impedanciometria.

Impedanciometria

Exame que complementa a audiometria permitindo um estudo detalhado da mobilidade e integridade da membrana timpânica e ossículos do ouvido assim como do reflexo estapediano (músculo do ouvido médio). Também não exige nenhum preparo especial e não causa dor. Em crianças pequenas, a realização do exame é feita em sono natural. Muito importante no diagnóstico de otite média secretora que comprovadamente é a principal causa de perda auditiva em crianças.

Audiometria comportamental

Avaliação auditiva indicada em crianças menores que 6 meses. É realizada por audiologista treinada através do uso de instrumentos musicais e que auxiliam na detecção de perda auditiva nessa faixa etária . O exame é tranquilo, demora em torno de 15 minutos e não necessita de nenhum tipo especial de preparo.

Audiometria de reforço visual

Indicada para crianças entre 6 meses e 2 anos de idade, esse exame é feito em cabine acústica com o auxílio de brinquedos luminosos que acendem para reforçar a percepção auditiva da criança. Não necessita de preparo e é totalmente indolor.

Otoemissões acústicas (Teste da orelhinha)

São conhecidas principalmente por sua importância na triagem auditiva neonatal sendo peça fundamental atualmente na detecção de perda auditiva precoce na infância. Além desta indicação, são consideradas essenciais na avaliação de pacientes com zumbido, ototoxicidade (lesão auditiva provocada por medicamentos) e perdas auditivas induzidas por ruído uma vez que detectam alterações nos ouvidos antes da audiometria. O teste é rápido (poucos minutos), indolor, não necessita de preparo especial e nem jejum para sua realização.

Teste Vestibular com Vectoeletronistagmografia

Avaliam a função do labirinto, nos quadros conhecidos como labirintites. Durante a vectoeletronistagmografia, é normal o paciente apresentar um quadro vertiginoso breve e autolimitado, sendo assim, é importante que o paciente venha acompanhado.

Preparo:
Dois dias antes:
Não tomar café, chá, chocolate, refrigerante e bebidas alcoólicas;
Não fumar;
Não usar medicamentos para tonteira, antidepressivos, calmantes e remédios para enjoo.

No dia do exame:
Jejum absoluto de três horas;

Potencial evocado auditivo de tronco encefálico (PEATE, BERA)

Exame eletrofisiológico que permite estudo detalhado das vias auditivas periféricas e centrais o que é essencial em alguns casos de surdez, tontura e zumbido.Pode ser realizado tanto em adultos como em crianças e nesse caso pode haver necessidade de sedação.
Realizamos o BERA em recém-nascidos.

Potencial evocado auditivo de tronco encefálico por frequência específica (PEATE ou BERA frequência específica)

Exame eletrofisiológico que permite identificação dos limiares auditivos em cada frequência do som em crianças e adultos especiais possibilitando um tratamento mais efetivo de uma possível deficiência auditiva. Atualmente, é considerado essencial para uma boa adaptação de prótese auditiva em crianças, uma vez que permite o ajuste da amplificação para cada frequência evitando sub ou superamplificação.
Realizamos o BERA em recém-nascidos.

Potencial evocado auditivo de longa latência (P300)

Exame eletrofisiológico que avalia o processamento do som a nivel central. Tem sua principal indicação no acompanhamento de pacientes em tratamento para os distúrbios do processamento auditivo. Não necessita de preparo nem sedação uma vez que é essencial que o paciente esteja acordado para a realização do exame.

Processamento auditivo

A avaliação do PAC é realizado com crianças a partir dos 4 anos de idade e irá permitir analisar e diagnosticar como o cérebro está interpretando a mensagem recebida;
Avalia a audição periférica e alguns testes avaliam a função auditiva central;
É totalmente indolor, depende da colaboração do paciente e é realizado dentro da cabina acústica com fones de ouvido. O paciente escutará estímulos verbais e não verbais com distorção. Ele precisará ouvir e produzir oralmente ou apontar uma figura, ou palavra escrita para produzir a resposta sensorial envolvida;
A avaliação do PAC deve ser posterior à audiometria completa (audiometria tonal + audiometria vocal + impedânciometria) e recente (menos de 03 meses);
A duração varia de 60 a 80 minutos e em alguns casos há necessidade de remarcar o paciente.

Teste de prótese auditiva

Teste que permite seleção e adaptação de prótese auditiva de maneira individualizada.Realizado por audiologista em consultório especializado, possibilita regulagem do aparelho de acordo com a perda auditiva do paciente. Após o teste permite-se ao paciente um mês de experiência domiciliar nas diferentes situações do dia a dia.

Videonasofaringoscopia flexível

Exame realizado com fibra ótica flexível que permite avaliação das cavidades nasais e dos seios paranasais além da rinofaringe e hipofaringe. Hoje é considerado o melhor exame para avaliação das adenóides em crianças. É feito com anestesia local e pode ser realizado em qualquer faixa etária, desde recém-nascidos até idosos e sem a necessidade de nenhum preparo . Pode ser também realizado com o intuito de estudar as pregas vocais em ocasiões onde o exame com fibra rígida da laringe não é possível. É o exame de escolha para avaliação neurológica da laringe e em casos de profissionais da voz complementa a videolaringoestroboscopia. Recomendado jejum de 2 horas.

Videolaringoscopia

Exame que permite avaliação das pregas vocais sendo essencial nos casos de distúrbios que envolvam alterações na qualidade da voz. Possibilita a identificação de lesões anatômicas e distúrbios funcionais da laringe além de avaliar a hipofaringe .É o exame mais indicado naqueles casos suspeitos de refluxo faringolaríngeo, entidade cada vez mais diagnosticada hoje em dia. Recomendado jejum de 2 horas.